Livros que você precisa ler

Livro Besta

Brasil

(1930-1990)

Apesar de nascido em Jaboatão, Pernambuco, Brasil, Plínio Corrêa Vega se dizia descendente direto de Garcilaso de La Vega Inca, o cronista mestiço peruano. Antes de Livro Besta escreveu Manifesto Sentimento Manifesto, uma fictícia correspondência amorosa entre Padre Antônio Vieira e Sor Juana Inés de La Cruz; Comala, uma recriação poética de Os Sete Samurais (de Kurosawa) no planalto mexicano; e o volume de memórias Ficção, escrito aos quinze anos de idade. Livro Besta foi redigido entre 1980 e 1987. Trata-se de uma série de aforismos que tem animais como personagens e, em tom fabuloso, comenta temas recorrentes na obra de Corrêa Vega: Deus, o legado da filosofia, a função da arte. O livro possui forte tempero poético e um lirismo que recebe, muitas vezes, tratamento irônico.  Chispas poéticas como “O sonho de todo tênis velho é ser um jacaré”, “Quantos dos cordeiros ainda acreditam em Deus”, “Eis que a árvore cansou de esperar e se tornou o primeiro avestruz”, “E quando tudo estava de repente, apareceu a  tartaruga e seu séquito de tartaruguinhas se eternizando”, ou ainda “O menino desenhou atrás do camelo duas improváveis gaivotas”, ou “Quando Deus criou o hipopótamo cometeu uma hipérbole. O hipopótamo devia se chamar hiperpótamo” aparecem aos borbotões.

Trechos:

“O rinoceronte é uma mistura de Dom Quixote e Sancho Pança. Tem a armadura nos ombros, a lança no nariz e a pança na pança.” (Pág. 37)

“Resposta: o vestido dos bichos-da-seda, meu caro Neruda, são invisíveis como a roupa do rei. Aquilo é só a camisola que eles usam para dormir.” (Pág 56)

“O macaco joga na cara do homem que ele é besta. O macaco, todo prosa e nenhuma poesia, pisa na merda por prazer. O macaco, se pudesse falar, não falaria. Riria à beça esfregando a merda nos beiços de quem fala. Ah, o macaco e seus prazeres nietzschianos! O macaco é o super-homem.” (Pág 67)

“O gato é o mais sábio dos animais. É o único que não tem passado ou futuro. O gato é só presente. É o agora. Um segundo antes não é gato. É esboço. Um segundo depois não é gato. É rasura.” (Pág 70)

“Para as borboletas, Deus mora nas lâmpadas.” (Pág 89)

“Cachorro: o whisky desengarrafado.” (Pág. 90)

“Do dicionário de eufemismos: moscas cobriram-lhe os olhos.” (pág 124)

“Irônico é o urubu, que sempre está de luto.” (Pág 164)

Anúncios

4 comentários em “Livro Besta

  1. Sil Vana
    02/09/2008

    fora de cogitação não ler esse livro. a leitura é gostosa como um roçado de gato manhoso, e os aforismos espertos como uma corujinha – o eufemismo da inteligência.
    ler é ter a oportunidade de rir de cana animal que somos.
    muito bom rever alguns dos trechos.

  2. Deco Vicente
    11/09/2008

    Hahaha. Tu tá se superando 😀

  3. Teno da Silva
    06/07/2012

    Tem versao em aramaico????

    • Bernardo
      06/07/2012

      Não tem, Teno. Mas Batimeu Shei, Filho de Timeu Shei, está traduzindo nesse momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 01/09/2008 por .
%d blogueiros gostam disto: