Livros que você precisa ler

A Primeira Carta do Homem-Elefante

A Primeira Carta do Homem-Elefante – 1923 – Ed. Vanguarda.

Hristo Ganin

Bulgária e Canadá

(1875 – 1933)

O búlgaro naturalizado canadense Hristo Sminenski Ganin, nascido nas montanhas de Teteven, foi um artista plástico de pouca expressão no início do século. Ficou conhecido, no entanto, por um pequeno conto chamado A Primeira Carta do Homem-Elefante, considerado por Freud uma obra-prima e por Jung “fonte inesgotável de saber”. O homem-elefante do título não é uma pessoa deformada fisicamente. Mas um homem que possui uma memória infinita e, por isso, considerado uma aberração atroz. Um deformado mental. Torna-se, então, atração no circo do empresário russo Tsipin, a quem escreve a carta. Durante a escritura da carta Ganin nos faz perceber o personagem como um homem comum que aos poucos se acredita monstro. A importância da narrativa está no relato da memória como doença ou característica não-humana. Quem lembra merece ter com as feras. Ganin morreu na sua casa em Vancouver no dia em que Hitler subiu ao poder em 1933. Outra coincidência: A Primeira Carta do Homem-Elefante foi publicada em 9 de novembro de 1923, dia do Putsch da Cervejaria, tentativa de golpe do futuro líder nazista contra o governo bávaro.

Trechos:

“Caro Senhor Tsipin, venho por meio desta pedir que mude a minha jaula de lugar. Há anos trabalho para aumentar a visitação deste aclamado Grand Circo Tsipin e mereço, sim, acredito, um lugar mais adequado à minha posição conquistada não sem esforço.” (Pág. 12)

“Caro Senhor Tsipin, é realmente importante que a minha jaula fique em um bom lugar, com boa visibilidade também para crianças. Creio que há algo de didático na minha profissão de homem-elefante. Eu, Johannes P. Hesme, assim peço.” (Pág. 15)

“Caro senhor Tsipin, sem mais delongas  subscrevo-me. Não. Assina por mim meu filho pois minhas mãos deformadas  não me permitem o uso da caneta-tinteiro. Dito ao pequeno Crispim. Por último, peço mais uma coisa: queime esta carta assim que terminar a leitura.” (Pág. 39)

 

 

Lyubomir Ganin, filho do autor, foi o maior divulgador de sua obra.

Lyubomir Ganin, filho do autor, foi o maior divulgador de sua obra.

Tradução: Sérgio Petroff.

Anúncios

6 comentários em “A Primeira Carta do Homem-Elefante

  1. Vinicius
    16/10/2008

    Estou a rir do homem-elefante e sua carta. Obrigado pelo link, demorei procurando o livro de Martii Pallasmaa, ate achar num sebo modernoso.
    Abraço.

  2. Bernardo Brayner
    20/10/2008

    Aguarde novidades, Vinicius. Talvez publiquemos um conto inédito de Pallasmaa

  3. niltonresende
    13/08/2012

    ¬¬
    .

  4. Oliveira de Carvalho
    06/04/2014

    Por que na capa de “A primeira carta do homem-elefante” está a foto do genial escritor português Miguel Torga? … felizmente os livros de Torga ainda encontramos nas livrarias e sebos, e são livros que você precisa ler 😉

    • Bernardo
      07/04/2014

      Lyubomir Ganin e Torga são duplos que precisam se conhecer, Oliveira.

    • João Batista Piazza
      07/11/2014

      A propósito tenho cá comigo o insólito CONTOS DA MONTANHA ainda na sua oitava edição.escrito em San Martinho de Anta no Natal de 1968.

      Caso queira posso transformá-lo em pdf e enviá-lo via email.

      Atenciosamente.

      João Batista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 12/10/2008 por .
%d blogueiros gostam disto: