Livros que você precisa ler

Que o diabo leve

Que o diabo leve – Ed. Talismã – 2009.

Zoe Van Brue

Bélgica

(1986)

Se no seu clássico Avatar Benoît Ferrey descreve um mundo em que a soma de todas as almas é Deus, a jovem escritora Zoe Van Brue criou um livro de negativas. Em Que o diabo leve nada se constrói. “Não fazia um tempo chuvoso quando os homens não entraram, não montaram seus cavalos, não empunharam suas armas, não ajeitaram seus chapéus, não alimentaram-se do ódio”. É nessa narrativa fabular que se conta a história de um homem chamado Shoreh Azfali. No livro Azfali é um escritor pop que está lançando o quarto livro de uma tetralogia chamada Bosch. O romance é extenso e vagaroso como a vida. Os críticos apelidam o livro de pós-moderno, tendo em mente seus jogos intertextuais. No entanto talvez a melhor forma de classificá-lo seja como realismo vitoriano pois espalha sua verdade sobre o inconsciente dos leitores e escritores. Lançado na Europa com certo estardalhaço, Que o diabo leve é uma obra de vigor de uma escritora de apenas 22 anos. E uma prova de que a literatura não está morta, jamais.

Trechos:

“A cidade de Teerã não foi construída gradualmente, não foi inventada por um louco, não foi fundada por uma manhã.” (Pág.82)

“Não foi a imaginação que o levou até lá porque não era infinita a sua imaginação”. (Pág.290)

“Não estava dizendo não.” (Pág. 490)

Van Brue lendo o seu Que o diabo leve.

Van Brue lendo o seu Que o diabo leve.

Tradução: Marcelo Seixas.

Anúncios

7 comentários em “Que o diabo leve

  1. Marco Polli
    24/03/2009

    Nessa foto, Zoe Van Brue parece estar em alguma pousada no Brasil. Como seria uma cantada para ela? “Você não captou o meu olhar”..
    ——-
    Mas falando sério, esses trechos que aparecem nos posts são muito bons. Estão até confundindo a minha mente sobre o que é escrever bem. Se tanta coisa boa aparece “pós-modernamente”, como escrever “a sério”? Abraços.

  2. Bernardo
    24/03/2009

    Marco, de fato essa foto deve ter sido tirada no lançamento da edição brasileira, em janeiro. O nosso blog apenas recebeu o material de divulgação enviado pela assessoria e publicou. Mas a pousada deve ser em Abrolhos ou Trancoso, já que a autora andou se encontrando com Caetano Veloso na Bahia. Abraço.

  3. Alysson Oliveira
    19/08/2009

    Essa foto é da época em que ela escreveu o livro ou atual?

    Curioso ela ficar relendo seu próprio livro durante as férias…

  4. Bernardo
    19/08/2009

    É atual, Aly. E isso que você falou é puro umbiguismo mesmo. Umbiguismo com piercing.

  5. Bernardo
    11/07/2011

    Mais um trecho: “Ele não acordou meio bêbado aquela noite. Não abriu a porta com preguiça e não estava com um pouco de medo da noite lá fora, sem antes não deixar as chaves caírem no chão. Ele nunca olhou o calendário de cores desbotadas na porta da cozinha e, tampouco, encheu o copo de água. Num gole só não deixou uma gota escorrer pelo canto da boca até o queixo que não estava mal barbeado. Naquela noite ele não dirigiu no escuro até a casa que não era branca. E lá havia uma mulher.”

  6. Sinto informar mas Van Brue plagiou o classico underground de autoria do Dr Plausível – mas esqueci o título do livro agora.

    • Bernardo
      21/06/2012

      De quando é o livro do Dr. Plausível? Lanço dúvidas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 24/03/2009 por .
%d blogueiros gostam disto: