Livros que você precisa ler

33 caminhos

33

Lev Golem

33 caminhos – 2008 – Editora Mundo Novo

Israel

Lev Golem não é um homem. Lev Golem é o projeto mais ambicioso da literatura mundial. Com ele, os idealizadores pretendem que cada homem na terra escolha uma das palavras que compõem o livro 33 caminhos. A ideia começou a tomar forma, diz-se, com um grupo de intelectuais judeus fillhos de pais mortos em Auschwitz. Com mais de 6.000 páginas atualmente, 33 caminhos pretende ser um working em progress, sempre acrescentendo páginas à medida que a população mundial cresce e se alfabetiza. As palavras são coletadas por um grupo de viajantes que a transpõem para o hebraico, língua original em que o livro está sendo publicado. A próxima edição já deve sair com mais de 10.000 páginas. O personagem principal é o próprio universo em mutação, recriando-se, morrendo e revivendo. Tornando-se pó e dele fazendo matéria-prima para reviver. O título foi retirado do Sefer Yetzirah, texto pertencente ao corpus da Cabala.

Trecho:
“Esta terra tem um lodo que prega forte no corpo da gente, pra alcançar a luz que ilumina a nossa cara, a gente estende a mão, mas o corpo não responde, fica parado como uma folha, então a gente consegue e move a cabeça pro lado, e olha com um olho de baleia, tenta ver ao redor, pegar uma coisa que valha para levantar. ninguém. nada. coisa nenhuma. Terra. Antes de ficar aqui, deitado com os caranguejos, pardais, cecílias, a gente vivia com aquele beijo sopro de mulher, lavrando a terra que tem um lodo forte que prega na cabeça da gente, pra alcançar a luz fraca que mal ilumina a nossa cara, a gente estende a mão, mas o corpo não responde, fica parado como uma folha, a gente move a cabeça pro lado, e olha com um olho de baleia, tenta ver ao redor, pegar uma coisa que valha para levantar. ninguém. nada. coisa nenhuma…” (Pág.819)

Tradução: Benjamin Salem.

Anúncios

6 comentários em “33 caminhos

  1. Mamangava
    03/08/2009

    Uma obra alucinante e inovadora! Cheguei a ler a última edição em inglês (a tradução de Mike Pondsmith, não a de Chelsey Chapman). Me parece que a tradução pra PT-BR ficou muito boa também. Vou conferir!

  2. Bernardo
    03/08/2009

    Mamangava, Pondsmith sem dúvida é um dos maiores conhecedores do grupo inicial que fundou o Lev Golem. Dizem até que ele seria um eles. Mas pode ser lenda, dizem até que tal grupo nunca existiu a não ser na mente de um fanático latino-americano.

  3. Daniel Kahan
    03/08/2009

    Sinceramente não gostei da tradução para português, talvez porque o tenha lido em hebraíco inicialmente. Mesmo assim vale a pena. Para os que não conseguirem encontrar essa obra tão rara, ai vai uma dica: http://www.livrariacultura.com.br, só tinha uma unidade e o preço bem salgado.

  4. Mamangava
    04/08/2009

    Sim, eu já tinha ouvido falar que o Pondsmith tinha outros envolvimentos no projeto além da tradução hebraico>inglês, e, honestamente, não desconsidero a hipótese de ele compor o grupo inicial.

    Claro que sempre se perde algo na tradução, mas a dele está ótima. Ao contrário da tradução da Chapman, que talvez por ser pedagoga, tentou usar uma linguagem mais acessível para – talvez – arrebanhar jovens leitores e acabou simplificando em demasia (em minha modesta opinião).

    A dica de Daniel Kahan já perdeu a validade: comprei o salgadíssimo último exemplar pelo site da Livraria Cultura. Quero muito conhecer a tradução de Salem. Embora eu não fale hebraico, vou compará-la à tradução para o inglês de Pondsmith. Sou tradutor, e estou sempre de olho (crítico) nos trabalhos dos colegas.

    Quanto às lendas… bom, são somente lendas! Não presto muita atenção nelas!

    Forte abraço!

  5. Bernardo
    04/08/2009

    Pelo conhecimento de causa, Mamangava, creio que você pode ser o próprio Pondsmith num simulacro latino-americano. Acertei? Ou talvez todo nós sejamos facetas de uma única mente, talvez o arquiteto do universo esteja por trás disso tudo, talvez, somente talvez.

    Abraço.

  6. Teno
    09/08/2009

    Como um tradutor juramentado, eu prefiro ler obras literarias relacionadas aos judeus em aramaico arcaico. Ai sim, voce entendo o significado da palavra significado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 03/08/2009 por .
%d blogueiros gostam disto: