Livros que você precisa ler

Tipos que tendem à mudez

tiposque-1 (1)

André Baracho

Tipos que tendem à mudez – 2012 – Editora Blue Exploitation.

Brasil

(1907-1968)

O ano de 1956 foi miraculoso para a literatura brasileira. Só nesse ano foram lançados Grande sertão: veredas, A lua vem da Ásia, Doramundo, Contos do Imigrante, Boca do Inferno, O encontro marcado e, na França, Camus publicava A queda. Nesse mesmo ano um autor escreveu seu único livro e o enviou para várias editoras sendo sistematicamente recusado em todas. Era o Tipos que tendem à mudez, do maranhense André Baracho. No romance temos dois planos narrativos. No primeiro um garoto é espancado no colégio por outros garotos e até pelos padres que comandam a instituição. A rotina de violência só é quebrada pelo clamor último do sexo. No segundo, o adulto, provavelmente o garoto crescido, escreve um livro sobre o silêncio. Mas para continuar escrevendo este livro o adulto precisa empreender um pacto com uma criatura amorfa que encontra num matagal perto de sua casa, uma forma de vida estranha que se adapta a absolutamente tudo. Uma espécie de Odradek, segundo o crítico Julian Cardoni, “mas que também pode ser chamado de vida”.  O animal chamado de Ascoteu, Sísera e às vezes Meserefot, Dibon ou ainda Madron aparece e reaparece na história com as mais múltiplas formas: um copo quebrado que corta o pé do adulto, um punho erguido no escuro, uma ameba com pseudópodes gigantes chamada Pensamento. A linguagem do romance utiliza os três pontos entre parênteses para abrir silêncios na tessitura do texto. O uso das aspas também é peculiar no livro de Baracho. Muitas palavras são aspeadas e, embora pareça sem sentido, o filho do autor, Guilherme Baracho, confessou em entrevista ao jornal El Paseo que o pai via estes símbolos como “pequenos abutres trazendo a morte para o que está sendo dito”. Só em 2010 o original foi redescoberto pelo crítico literário Kelvin Falcão Klein e publicado agora pela pequena editora Blue Exploitation. Um romance de fina fatura.

Trechos:

“”Eles” detestam a forma “querem” parecer sempre “outro”.” (Pág. 39)

“Naturalmente (…) uma criatura de diminuta forma (…) Mas que cresce e parece pronta (…) a nos devorar ou ser devorada, mas se ri e (…) sussurra palavras obscenas.”  (Pág. 59)

“O silêncio se me revela. Revela seu fruto. Amém.” (Pág. 92)

“Votaram-me ao interdito.” (Pág. 129)

Anúncios

2 comentários em “Tipos que tendem à mudez

  1. Edmar neto
    29/09/2012

    Parece ser um ótimo livro, nesse mesmo ano se eu não me engano foi publicado o livro Deus da Chuva e da Morte de Jorge Mautner, uma fantástica obra da literatura brasileira sem duvidas.

  2. Bernardo
    09/10/2012

    Sem dúvida, Edmar. Grandes livros nesse jubiloso ano de 1956.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 24/09/2012 por .
%d blogueiros gostam disto: