Livros que você precisa ler

Liebenschnell Kommando

Liebenschnell Kommando capaRatko Sekeljc

Liebenschnell Kommando – 2011 – Ed. Mata-borrão.

Ex-Iugoslávia, atual Croácia.

(1975)

Se o tempo- como se sabe – é circular Velibor está exatamente uma volta na nossa frente. Não é, portanto, um viajante do futuro, tampouco do passado. Trata-se de um viajante do presente. Nenhuma de suas ações irá alterar o futuro. Por isso só resta a ele escrever. Escrever é mandar uma mensagem para si mesmo. Escreve, Velibor. E Velibro escreve.  Escreve a história: num futuro próximo a lei manda que se tatue o nome das pessoas com quem você teve algum envolvimento emocional. Você, nesse caso, é um homem chamado Velibor. As pessoas, no momento, é Hadriana. Velibor é um escritor e acaba de ser tatuado com uma tinta azulada. O seu recém-lançado livro Bichos entendem de gente cria uma inesperada polêmica em Bratislava (ou Pressburg (Preßburg), ou Pozsony) pela seguinte frase “A meia-noite abriu as suas pernas. Era uma pantera”. Saiba o leitor que nesse futuro próximo não se deve fazer nenhuma referência a sexo porque as tatuagens bastam. Velibor foge para a América Central onde vive da demolição de igrejas. Na Guatemala, único país do mundo que não aderiu à, assim chamada, Lei da Tatuagem, Velibor tenta remover a tinta azul. Capítulos com um estranho coral aparecem e desaparecem sem deixar muitas pistas. O leitor pode imaginar que a rocambolesca história de um livro dentro de outro livro escrito por um viajante do presente pode definhar no sentimentalismo. E também é assim como Ratko Sekeljc decidiu narrá-la. Uma narrativa em segunda pessoa, alternando com um registro jurídico e uma orquestra às vezes afinada, às vezes desafinada, que tecem um painel de futilidade das relações entre os indivíduos, estendendo o elástico nos dois lados: da mais incrível frieza ao sentimentalismo barato: a vibração única é a voz que Sekeljc encontrou para nos contar essa história. A história de Liebenschnell Kommando. Velibor, não o Velibor escrito por Velibor, mas o primeiro Velibor é também um livreiro que observa seus livros se transformarem pela ação dos cupins. Uma a uma obras de Dostoiévski, Gogol, Hemingway, Karel Tchapek, Nicolás Guillén se convertem em um emaranhado de pequenos túneis que, para o narrador, assim chamado Velibor, se assemelham a animais, rostos de antigos conhecidos, uma cena bucólica esquecida na infância. Liebenschnell Kommando se torna outro livro. A ação do tempo muda ele. Liebnschnell Kommando é uma metáfora da morte e da mudança. É um caleidoscópio enganoso, em português, aqui na tradução de Antonio Marcos Pereira.  Há mais uma transformação, mais uma ação que corrompe e transforma, mata e dá vida. Um livro de Sekeljc é sempre uma surpresa.

Trechos:

“Teu braço marcado alcança a porta, a porta que range de dor como um animal agonizante.” (Pág. 28)

“Out by the box car waiting/Take me away to nowhere plains…” (Pág. 69)

“Teu país agora é a Guatemala, Velibor, teco, teco, guatemalteco.” (Pág. 90)

“Desculpe, leitor, pelo livro.” (Pág. 133)

“O que vocês chamam de Deus eu chamo de tempo.” (Pág. 152)

“Eu sou os meus livros. Eu sou todas estas palavras dos outros, o meu corpo não me pertence. Eu não tenho palavras minhas. Vejo o meu corpo ali sendo devorado.” (Pág. 221)

“Os pequenos túneis são como veias que se apossam do papel e o transformam num objeto mais próximo do ser humano, algo mais orgânico, algo que se assemelha à própria pele, a pele recheada de pequenos escorpiões.” (Pág. 255)

“A morte sabe o nome de todas as coisas.” (Pág. 270)

Tradução: Antonio Marcos Pereira.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 16/09/2013 por .
%d blogueiros gostam disto: